Marca Pessoal ou Personal Branding é o conjunto de características que tornam uma pessoa única. A marca é percebida pelo outro nas diversas interações no dia a dia. Por meio dessas interações vamos deixando um legado, ou uma marca na memória das pessoas, esse legado que nos personifica é chamado reputação.

 

A grande questão é encontrarmos a maneira correta de nos posicionarmos na mente das pessoas. Posicionamento é o mesmo que pensar em uma frase que nos identifique e nos diferencie das outras pessoas. Para isso, é preciso dar visibilidade aos pontos fortes e benefícios. Para ajudar a se diferenciar, pense: o que você ama fazer versus o que você faz de melhor.

 

A marca pessoal pode ser identificada de uma maneira positiva, para isso é preciso gerenciar nossos pontos fortes e fracos de modo a passar a imagem que queremos ser reconhecidos. Com uma marca pessoal forte, consistente e diferenciada nos posicionamos de modo estratégico da mente das pessoas e isso traz inúmeros benefícios: credibilidade e confiança para fechar negócios, fazer parcerias, assinar contratos, conquistar pessoas ou uma vaga de emprego, por exemplo, ou seja, conquistar o tão necessário “SIM”. Essa palavrinha tão pequena e que faz tanta diferença para nós.

 

Gerenciar a Marca Pessoal é algo que devemos nos preocupar, devemos investir tempo e dedicação para realizar no dia a dia. Devemos ser disciplinados, atentos e responsáveis na condução desse processo, pois sabemos que a marca leva anos para ser construída e respeitada, mas basta um escorregão para ser destruída. Os três pilares da Marca Pessoal são: Eu, Eu x outro e visibilidade. Como pode ser observado na figura 1 a seguir:

 

FIGURA 1 – OS 3 PILARES DA MARCA PESSOAL

Desses três pilares defino os 10 passos para alavancar a sua Marca Pessoal: 

1º Ativando o autoconhecimento, 2º Ancorando Crenças Fortalecedoras, 3º Aprendendo a aprender, 4º Ativando as Características do Comportamento Empreendedor (CCEs), 5º Gerenciando o Tempo com Criatividade e Flexibilidade, 6º Desenvolvendo Comunicação Assertiva, 7º Desenvolvendo a Arte de Influenciar Pessoas, 8º Construindo um Networking de Alta Performance, 9º Construindo Autoridade e Notoriedade nas Redes Sociais e 10º Planejamento Estratégico de Marketing Pessoal. Como pode ser observado na figura 2 a seguir:

 

FIGURA 2 – OS 10 PASSOS PARA ALAVANCAR A SUA MARCA PESSOAL

Dá uma olhadinha nesse vídeo, que falo da diferença entre Marca Pessoal e Marketing Pessoal.

Marca pessoal começa no caráter, passa pelo comportamento e atitude até chegar à reputação, que é a marca que você deixa nas pessoas.

 

Podemos começar refletindo sobre algumas perguntas poderosas de Coaching, que costumo fazer às minhas clientes (Coachees):

 

Como você vê o mundo? Você já deu sentido à sua vida?

Você trabalha com os conceitos de identidade, imagem e visibilidade?

Você tem um diferencial mercadológico? Qual?

Quem é seu cliente? Quem mais faz o que você faz? Qual seu diferencial?

Você atua em um nicho de mercado específico?

Você pesquisa e busca conhecer seu público-alvo?

Quais suas metas a curto, médio e longo prazo? Seus comportamentos estão alinhados com seus planos e metas?

Você pensa e age de acordo com as capacidades necessárias para alcançar suas metas? Suas metas são coerentes com suas crenças e valores?

Quais os comportamentos necessários para alcançar o que você quer? Desses comportamentos e capacidades, quais você já dispõe? Quais capacidades você precisa adquirir?

Você sabe fazer visualização ativa (ponte para o futuro)?

Você se comunica bem?

Quais recursos de marketing você conhece e quais utiliza?

Caso fosse profissional autônomo ou empresário, você faria de graça o que está fazendo?

 

 

Eu posso afirmar que deixar uma marca positiva na memória das pessoas pode ser um diferencial competitivo sustentável por muito tempo. Todos nós sabemos que tecnologia, processos, serviços e produtos são facilmente copiáveis. O que não dá para copiar é jeito, a maneira de fazer de cada um, o jeito de ser, de falar de cada ser humano.

 

Até dá para imitar, mas essa falta de autenticidade não gera confiança, credibilidade e confiabilidade que são itens importantíssimos quando desejamos fazer parcerias, fechar negócios, assinar contratos, enfim. Ou seja, o poder da marca pessoal nos negócios pode significar o critério de desempate na hora de assinar um contrato.

 

Marca pessoal é o que você deixa para o outro. É a impressão que alguém tem de você, é a interpretação que o outro faz de você, é como você é visto. Logo você percebe que marca pessoal é formada em você, mas precisa ser validado pelo outro que está interagindo.

 

E é super possível gerenciar a Marca Pessoal e gerenciar as impressões que causamos no outro. Marca Pessoal trata do gerenciamento da coisa mais importante na sua vida profissional, a sua reputação, que é a capacidade de gerar confiança.

 

 

GERENCIAMENTO DE IMPRESSÕES

No vídeo abaixo, eu falo de 4 características de valor para sua Marca Pessoal.

Minha marca é a imagem que as pessoas têm de mim. Reputação é um conceito mais consolidado, fruto das diversas interações que realizamos no dia a dia e, portanto se configura em uma leitura, uma interpretação mais amadurecida, mais aprofundada. A reputação é a síntese dos vários contatos e leituras que são desenvolvidas ao longo do tempo. A credibilidade é um fator relevante na consolidação da reputação.

 

 

A imagem e identidade são uma coisa só, uma interagindo sobre a outra e inexistindo sem a outra. A sua imagem é a manifestação de seu ser, de sua verdade, de sua identidade. A sua identidade é única e diferenciada, é importante aprender a exibir seu diferencial ao público. 

 

O ideal é que a sua imagem coincida com a imagem que o público deseja. O 1º passo é:“quem sou eu?” e o 2º passo é:“quem é o outro e o que ele quer ou precisa?” Encontrar a forma de convergir essas duas vertentes: quem você é, sua vocação e como ser útil aos outros é o trabalho da construção da imagem. (BIDART, 2006, p. 74).

 

 

Essa mesma autora ainda sinaliza que é necessário evitar incongruência. As incoerências precisam ser descobertas logo, para que você aprimore o trabalho de construção da imagem, incoerências são sinais.

 

 

Não fale sobre seus pontos fracos: falar de suas fraquezas podem fazê-las grudar em sua imagem. As palavras muito repetidas podem se tornar verdade. Geram o poder que as crenças detêm. A linguagem monitora o cérebro e constrói realidades. Descubra seus pontos fracos e trabalhe em silêncio em cima deles. Dúvida e fraqueza são momentos só seus. São protagonistas de seu mundo interior, não são públicas. (BIDART, 2006, p. 75)

 

 

Eu concordo inteiramente com essa citação de Bidart (2006), acredito também que devemos evitar destacar nossos pontos fracos, devemos trabalhar neles e com eles, “em silêncio”. No marketing tradicional, a embalagem do produto tem um poder significativo para o consumidor no processo de compra.Com a Marca Pessoal o raciocínio é o mesmo: “embalar-se” para apresentar-se de modo profissional e confiável é um fator importante para o sucesso nos negócios, por isso não pense que o impacto que uma marca tem no contato inicial com uma pessoa é pequeno.

 

 

A sua imagem influencia os outros e sua aparência comunica muitas coisas, incluindo sua personalidade, autoestima, profissionalismo e confiança. A sua aparência também pode influenciar sua atitude. Quando você se sente confortável com sua aparência, vai projetar essa atitude e pode ser mais efetivo na realização de seus objetivos. (CILETTI, 2013, p. 106).

 

 

Portanto, não se descuide da sua identidade, de como você quer ser visto e lembrado, não se descuide da imagem e da sua reputação. A Marca Pessoal faz a gestão deste patrimônio pessoal chamado reputação, que é muito difícil de construir, mas muito fácil de perder, como já dissemos anteriormente.Agora, peço que você pare sua leitura por um tempo para responder a essas 5 perguntas:

  • Como você se vê?
  • Como os outros veem você?
  • Como você quer ser visto?
  • Como você não quer ser visto?
  • E agora escolha as 5 palavras que melhor lhe definem.

 

 

Você saberia responder de modo assertivo e direto? Pois acredite: você é a interseção entre como você se vê e como as pessoas te veem.

 

 

 

FIGURA 3 – COMO VOCÊ SE VÊ X COMO OS OUTROS TE VÊEM

Vamos fazer agora outro exercício: vou colocar aqui algumas pessoas famosas e você vai escrever um adjetivo ou a primeira palavra que vem na sua mente, independente de você saber quem são elas ou não:

Agora, imagine que esse quadro em branco está a sua foto. Qual será o adjetivo que vem à mente das pessoas quando te olham?

Isso tudo é para te convidar a refletir que as pessoas fazem escolhas com base em percepções e nós somos o resultado da percepção das pessoas. E essa percepção é fruto da gestão de sinais sobre você. Como assim sinais? Entenda sinais como alguns dados aleatórios sobre você.

O que você fala

     Sua postura

VOCÊ

Sua ideologia

Modo de vestir

Como fala

  Suas atitudes

Onde você mora

      O que veste

Onde fala

Suas reações

Seu carro

Como veste

Com quem fala

    Seus amigos

Seu estilo de vida

Onde vai

Como ouve

O lugar que você frequenta

      Sua empresa

Com quem vai

Um bom plano de Personal Branding deve focar em 3 perguntas: onde estou agora? Onde quero chegar? Qual será minha estratégia para chegar lá? Em Coaching chamamos isso de sair do ponto A (Estado Atual – EA) para o ponto B (Estado Desejado – ED).

 

Marketing Pessoal

 

O Marketing Pessoal é uma ferramenta que se destina ao desenvolvimento pessoal através de mecanismos de alavancagem, reposicionamento e gerenciamento, que controlam a gestão de sua marca, sendo imprescindível, especialmente, ao destaque de um profissional no mercado de trabalho (BENDER, 2009).

No marketing pessoal, elementos surgem como decisivos: a qualidade do posicionamento emocional para com os outros; a comunicação interpessoal; a montagem de uma rede relacionamentos; o correto posicionamento da imagem e, por fim, a prática de ações de incentivo para com os demais.



Bom vou terminando por aqui.

Espero que tenha gostado dessas dicas.

Para assistir outros vídeos, acesse meu canal no youtube, clique aqui.

REFERÊNCIAS DESTE TEXTO:

BENDER, Arthur. Personal Branding: construindo sua marca pessoal. 4ª ed. SãoPaulo: Integrare, 2009.

BIDART, Lucia de Bidart. Marketing pessoal: manual prático. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 2006.

CILETTI, Dorene. Marketing pessoal. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

KOTLER, Philip. Administração de marketing: a edição do novo milênio. São Paulo:Prentice Hall , 2003.

MELO,Paulo et al.Marketing Pessoal e Empregabilidade: do Planejamento de Carreira ao Networking. 1a Edição. Editora Érica, 2014.

Quer receber nossa newsletter? Coloque seu e-mail no espaço abaixo para receber minhas dicas!

%d blogueiros gostam disto: