Eu posso garantir que após criar uma Marca Pessoal de valor, o próximo passo é consolidar e dar consistência. 

 

Sabemos também que uma Marca Pessoal forte, consistente e diferenciada não é formada de um dia para o outro. Essa construção exige tempo, esforço, amadurecimento e muita reflexão. 

 

Para construir a sua Marca você terá que percorrer as seguintes fases: 1 estabelecimento da sua identidade, 2 desenvolvimento do posicionamento e clareza do seu propósito e 3 avaliação da imagem (coletar feedback).

 

 

1 ESTABELECIMENTO DA SUA IDENTIDADE

 

 

A 1ª fase é de dentro para fora. Você precisa pensar na identidade da sua marca. Identidade é formada por atributos, crenças, valores e experiências. Pensar quais atributos você quer ser identificado para perceber se está sendo identificado assim. Em minha busca pelo autoconhecimento, defino minha identidade e isso define minha marca. Então, identidade é como você quer ser reconhecido e lembrado.

 

 

Importante que se diga que a identidade vai se moldando com o tempo. O conceito de identidade e sua constituição transformam-se com o tempo em busca de adequações e sobrevivência, como já dissemos. Uma ótima oportunidade para refletir sobre tudo isso você já está vivendo: lendo esse texto.

 

 

2 DESENVOLVIMENTO DO POSICIONAMENTO E CLAREZA DO SEU PROPÓSITO

 

 

A partir do momento em que você se conhece e reconhece em você seus atributos, seus sonhos, desejos e vontades, está na hora de ter clareza do seu propósito: qual a sua missão nessa vida? Qual legado pretende deixar?

 

 

A declaração de propósito não é tarefa fácil. Se todos nós soubéssemos o que queremos fazer, não teria um verdadeiro exército de pessoas infelizes em seus trabalhos e ocupações atualmente.

 

Percebo que vamos nos deixando levar pela vida, pelos sonhos de outras pessoas. Algumas pessoas escolhem profissão pelo status que ela representa, imagina isso? Algumas pessoas fazem um curso na Faculdade por imposição dos pais, da família, ou por querer agradar outras pessoas. Isso é um verdadeiro absurdo que justifica tanta gente fazendo coisas erradas, tanta apatia e infelicidade no local de trabalho.

 

 

3 AVALIAÇÃO DA IMAGEM (COLETAR FEEDBACK)

            

Uma ação que ajuda muito nesse processo é essa terceira fase: perguntar, buscar saber o que as pessoas pensam de você. Coletar feedback é abrir a escuta ativa e se permitir ouvir, dar atenção à feedbacks das pessoas que você já se relaciona. Um ótimo exercício para isso é pedir que as pessoas falem de você. Experimente o seguinte exercício: peça no instagram (ou sua rede social favorita) que seus seguidores apontem adjetivos que melhor te definam nos comentários. Depois, pegue todos esses dados e monte um mapa de conceitos que podem te ajudar a declarar seu propósito e seus diferenciais.

 

Assista ao vídeo “As 3 fases da construção da Marca Pessoal”:

OS 4P’s DO PERSONAL BRANDING

 

Para ficar ainda mais claro os elementos que orbitam o entendimento de Marca Pessoal, vamos conhecer os 4 P’s. Os quatro elementos que podem ser organizados em uma matriz para seu melhor entendimento:

 

PROPÓSITO

POSICIONAMENTO

PESSOA

PROPOSTA

 

Perceba que mais uma vez o PROPÓSITO aparece como elemento inicial quando se fala de Marca. Por que minha marca existe? O que ela defende? Como me inspiro? PESSOA diz respeito ao seu público-alvo, quem são as pessoas para os quais você está dirigindo a sua comunicação? Você tem que conhecer essa pessoa muito bem, a ponto de ter clareza das suas dores, das suas reais necessidades, somente assim você conseguirá se conectar a ela. O que pensam? O que sentem e necessitam? Como posso me aproximar?

 

O POSICIONAMENTO deve responder às seguintes questões: o que você tem de diferente das pessoas que atuam no mesmo segmento que você? O que você pode fazer diferente no seu negócio que não tem ninguém fazendo? Por que as pessoas vão fazer negocio com você? E por fim, o quarto P é de PROPOSTA: qual experiência você irá entregar? O que mais você oferece de forma personalizada?

 

 

Assista ao vídeo OS 4P’s DO PERSONAL BRANDING:

 

OS FATORES-CHAVE PARA CONSTRUÇÃO DE VALOR À MARCA PESSOAL


Os quatro fatores-chave para construção de valor para a sua Marca Pessoal são: 1. diferenciação, 2. relevância da marca, 3. reconhecimento da marca e 4. estima da marca.


  1. DIFERENCIAÇÃO


Diferenciação é encontrar uma maneira de se destacar da concorrência. Normalmente se declara a diferença com uma frase bem objetiva, por exemplo: “A Coaching número 1 dos artistas”, “A Rainha dos Baixinhos”, “O Cantor do povão”. Entende? Um lugar que te coloque em destaque em relação a seus concorrentes, algo que seja guardado na memória dos seus futuros clientes e os ajude a decidir comprar com você.


  1. RELEVÂNCIA DA MARCA


A relevância pode ser entendida da seguinte forma: que lugar você ocupa dentro do seu mercado? Caso você não existisse, que lacuna você deixaria? Então, relevância é a importância real que sua Marca possui.


  1. RECONHECIMENTO DA MARCA


O reconhecimento da sua Marca se dá a partir do momento em que sua autoridade sobre o assunto é reconhecida. Isso quer dizer que você conquistou uma posição de destaque no seu meio. Quando não há dúvida sobre a qualidade que você apresenta, quando você é lembrado e indicado, significa que o público reconhece que você tem valor. Reconhecer é validar, reconhecer é testemunhar e indicar você para outras redes de contatos.


  1. ESTIMA DA MARCA


Ter estima pela sua marca significa criação de vínculo. Isso acontece quando seu público passa a se tornar “defensores” da sua marca. Sabe quando uma publicação é compartilhada? Ou quando você anuncia algo e as pessoas passam a marcar outras pessoas no Instagram, por exemplo? Então, isso significa que elas estão indicando as suas publicaçõespara a rede dela. Elas estão assinando embaixo que aquilo tem algum valor. Isso ajuda a disseminar sua marca para outras pessoas, o que era antes chamado de propaganda boca a boca. Sabe como isso é chamado hoje? É chamado de Buzz marketing, uma estratégia com uma grau de importância enorme hoje, já que cada usuário pode influenciar a sua rede de contatos, através de seus comentários e marcações.


MARKETING PESSOAL

 

Agora vamos diferenciar Marca de Marketing: para Kotler (2003, p. 110) o Marketing Pessoal é “(…) uma nova disciplina que utiliza os conceitos e instrumentos do marketing em benefício da carreira e das vivências pessoais dos indivíduos, valorizando o ser humano em todos os seus atributos, características e complexa estrutura”.


Construir uma imagem de excelência e utilizar corretamente as habilidades inatas, criar novas habilidades ou aperfeiçoar as existentes requer esforço e atitudes proativas. Neste sentido, o profissional que souber utilizar o marketing pessoal poderá obter vantagem competitiva sobre os demais.


“A aplicação domarketing pessoal resulta no desenvolvimento de todo um conjunto de características individuais, como: percepções, aparências, atitudes, comportamento, competências, qualidades e boa imagem” (KOTLER, 2003).


O Marketing Pessoal é uma ferramenta que se destina ao desenvolvimento pessoal através de mecanismos de alavancagem, reposicionamento e gerenciamento, que controlam a gestão de sua marca, sendo imprescindível, especialmente, ao destaque de um profissional no mercado de trabalho (BENDER, 2009).


No marketing pessoal, elementos surgem como decisivos: a qualidade do posicionamento emocional para com os outros; a comunicação interpessoal; a montagem de uma rede relacionamentos; o correto posicionamento da imagem e, por fim, a prática de ações de incentivo para com os demais. Segundo a definição da Wikipédia, que é compartilhada por diversos autores de Marketing Pessoal:


marca é a representação simbólica de uma entidade, qualquer que ela seja, algo que permite identificá-la de um modo imediato como, por exemplo, um sinal de presença, uma simples pegada. Na teoria da comunicação, pode ser um signo, um símbolo ou um ícone. Uma simples palavra pode referir uma marca.


Utilizando essa definição para entendermos bem o que é uma marca, reflita: como está a sua marca pessoal? Que tipo de associações você acredita que sua marca tem promovido na mente das outras pessoas? Como vimos, o poder de uma marca reside nas associações que fazemos a elas, tanto positivas, quanto negativas e isso é válido tanto para marcas comerciais, quanto para marcas pessoais. Essas associações tem o verdadeiro poder de moldar nossas percepções sobre cada marca que conhecemos e, consequentemente, determinar nossas ações e atitudes em relação a elas.


Na PNL (Programação Neurolinguística), utilizam-se dois conceitos que todo ser humano lida em seu dia a dia: o prazer e a dor. Todos nós vivemos, invariavelmente, para aumentar nosso prazer e diminuir nossa dor. Nossa mente tem o poder de associar a dor ou prazer a qualquer tipo de situação que tenha ocorrido.


Marketing pessoal é antes de tudo um conjunto de escolhas, devemos entender o que motiva essas escolhas.Os profissionais de marketing desenvolvem mensagens promocionais que vão persuadir os consumidores a pensar positivamente sobre um produto. Eles fazem isso por meio de fatores como a embalagem do produto e as características e benefícios específicos que satisfazem às necessidades do cliente. Entender as necessidades de um cliente ajuda os profissionais de marketing a estabelecer as características que poderiam ser incluídas em um produto. Também auxilia na determinação de quais benefícios o cliente está realmente comprando. (CILETTI, 2013p. 78)


Logo, precisamos conhecer, consolidar e ressaltar nossos pontos fortes quando estivermos fazendo nosso marketing pessoal. De acordo com Peters (2000), Apud Kotler (2003)o marketing pessoal agrega valor à marca “pessoa”, tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional. Para ele, marketing pessoal:


[…] trata da capacidade individual de atrair e manter relacionamentos pessoais e profissionais entre a equipe, com clientes, com gerentes, diretores etc., de forma permanente, para que através e por meio deles se realizem ciclos de atendimento de necessidades mútuas, gerando satisfação a todos. (PETERS, 2000 Apud KOTLER 2003, p. 150).


Ele complementa que, é preciso entender que o profissional é um produto no mercado de trabalho e se não quiser ficar “encalhado na prateleira” deve se aprimorar e buscar sempre novas fontes de aprendizado, aplicando sempre o que tem de melhor. Nesse contexto, o marketing pessoal está relacionado a saber se comunicar com o mercado e à busca de novos conhecimentos. Ele afirma também que “você̂ é a sua marca, você̂ é seu projeto, você deve saber se vender, você deve administrar sua própria marca… Hoje em dia, o mais importante, para quem quer trabalhar e fazer negócios, é ser diretor de marketing da marca chamada ’VOCÊ’” destacando assim o fortalecimento do nosso EU “produto” como elemento fundamental para o sucesso de um profissional.(PETERS, 2000 Apud KOTLER 2003, p. 150).

E por falar em sucesso profissional, encerro esta capítulo indicando as Atitudes e comportamentos que comprometem e as que fortalecem o seu marketing pessoal:

.

A gestão de uma marca pessoal deve ser tratada como uma metodologia a ser aplicada no seu dia a dia. É necessário total empenho para ser capaz de realizar as atividades necessárias de maneira disciplinada para que possa atingir os resultados esperados.

REFERÊNCIAS DESTE TEXTO:
BENDER, Arthur. Personal Branding: construindo sua marca pessoal. 4ª ed. SãoPaulo: Integrare, 2009.
BIDART, Lucia de Bidart. Marketing pessoal: manual prático. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 2006.
CILETTI, Dorene. Marketing pessoal. São Paulo: Cengage Learning, 2013.
KOTLER, Philip. Administração de marketing: a edição do novo milênio. São Paulo:Prentice Hall , 2003.
MELO,Paulo et al.Marketing Pessoal e Empregabilidade: do Planejamento de Carreira ao Networking. 1a Edição. Editora Érica, 2014.

Bom vou terminando por aqui.

Espero que tenha gostado dessas dicas.

Para assistir outros vídeos, acesse meu canal no youtube, clique aqui.

Quer receber nossa newsletter? Coloque seu e-mail no espaço abaixo para receber minhas dicas!

    %d blogueiros gostam disto: