O mundo atual passa por momentos de transformações, e o trabalho modifica-se de acordo com essa realidade. Quanto maior for a rede de transmissão de conhecimento e informação, maiores serão as oportunidades que afetarão diretamente todas as ocupações profissionais do nosso século.

 

 

Conforme Tajra (2015, p. 23): “novas habilidades e tendênciassão identificadas todos os dias pelas empresas, o que provoca a real necessidade de construir um planejamento de carreira, para conquistar as melhores oportunidades oferecidas pelo mercado”.

 

 

         

FIGURA 1 – MERCADO DE TRABALHO

FONTE: OLIVEIRA (2018, p. 24).

De acordo com Chiavenato (2013), na busca de emprego, uma providência fundamental a ser tomada é conhecer previamente o terreno em que você vai pisar. É preciso conhecer algo sobre o mercado de trabalho, essa imensa arena onde vai acontecer a nossa peleja, para depois definir qual o alvo a acertar. Como indica Chiavenato (2015, p. 30):


A informação reduz a incerteza e proporciona conhecimento. E o conhecimento é muito importante quando se procura um emprego, qualquer que seja o seu nível ou grau de complexidade. Se você pretende abordar uma empresa para conquistar um emprego, é aconselhável que conheça algo a seu respeito. O primeiro passo é visitar o seu site na internet. Obtenha informações sobre o seu ramo de atividades, os produtos e serviços que oferece, seus concorrentes. Faça o que puder para conhecer melhor a empresa e estar apto a conversar a respeito dela nas entrevistas que certamente surgirão pela frente.


Afinal, informação é insumo necessário para lhe permitir saber para onde ir e como você está indo, a informação abre portas e indica rumos. Ela proporciona retroação e orienta e reforça seu comportamento.


O QUE É MERCADO DE TRABALHO

 

A palavra mercado refere-se a transações de oferta e procura em uma dupla dimensão de espaço e tempo, ou seja, em um local e em uma época. Conforme Chiavenato (2015, p. 72 – 74), dá-se o nome de mercado de trabalho “às transações que envolvem oportunidades de trabalho ou de empregos oferecidas pelas organizações em determinado lugar e em determinada época”.


Podemos inferir que mercado de trabalho é formado pelas oportunidades de emprego e trabalho que as empresas, organizações e entidades do 3º setor oferecem em um dado espaço geográfico.


Como as leis da economia, o mercado de trabalho se estrutura em demanda e oferta, ou seja, a quantidade de vagas de emprego disponíveis x a procura por empregos. De acordo com Chiavenato (2015, p. 94-97), cada uma das situações do mercado de trabalho apresenta diferentes características e, consequentemente, exige diferentes posturas do candidato, como veremos a seguir.

 

a) Mercado de trabalho em situação de oferta


O mercado de trabalho está em situação de oferta quando existem oportunidades de emprego em volume maior do que a procura por parte dos candidatos. Há excesso de ofertas de emprego por parte das empresas e escassez de candidatos para preenchê-las,dizem respeito aquelas vagas mais complexas, que exigem um nível de formação, capacitação e competências acima da média.

 

b) Mercado de trabalho em situação de procura


Na outra ponta do continuum, o mercado de trabalho está em situação de procura quando existem poucas oportunidades de emprego e um volume muito maior de candidatos à procura de trabalho. Essa situação, em que há pouquíssima disponibilidade de vagas de emprego e excesso de candidatos para preenchê-las é a situação mais comum de observarmos no mercado de trabalho brasileiro.

Agora vamos refletir sobre alguns aspectos do mercado de trabalho do terceiro milênio.


ASPECTOS DO MERCADO DE TRABALHO DO TERCEIRO MILÊNIO

 

Em seu livro, Chiavenato (2015) destaca alguns aspectos do mercado de trabalho do terceiro milênio, são eles: globalização, tecnologia, tecnologia da informação, serviços e conhecimento, que nos ajudam a sentir o panorama dos reflexos destes no mercado de trabalho e em nossas carreiras.

          

FIGURA 2 -ASPECTOS DO MERCADO DE TRABALHO DO TERCEIRO MILÊNIO 

FONTE: A AUTORA (2019).

Agora vamos entender um pouco mais a visão de Chiavenato (2015) sobre cada um:

Globalização
A globalização está derrubando fronteiras e intensificando o caminho para a internacionalização dos negócios. Bandeiras e idiomas à parte, o mercado será cada vez mais o mundo inteiro e os clientes serão todos os povos. Algumas empresas – como McDonald’s, Coca-Cola, Asea Brown Boveri e Nestlé – já estão se antecipando ao futuro e abrindo empresas e filiais ou fábricas em quase todos os países do mundo.
Tecnologia
A tecnologia está moldando as futuras empresas e as profissões do futuro. Praticamente tudo deverá ser substituído pela máquina ou influenciado pela tecnologia. Com base no microprocessador, cuja potência vem crescendo intensamente, a tecnologia da informação determinará cada vez mais a distribuição de oportunidades no novo século e terá um forte impacto nos empregos. Além disso, provocará uma nova forma de interação de pessoas e definirá o que será o novo tipo de trabalho. O núcleo disso tudo é a facilidade e a rapidez com que grandes volumes de informação chegam em tempo real às pessoas a custos cada vez menores. Daí a globalização dos negócios e a internacionalização das empresas como decorrências inevitáveis. A principal consequência dessa transformação é que as pessoas não são mais um simples apêndice da máquina. Pelo contrário, a tecnologia está se tornando a ferramenta indispensável para o homem trabalhar melhor. O conhecimento da tecnologia será fundamental à liberação do homem para atividades mais sofisticadas e intelectuais.
Tecnologia 
da 
informação
A tecnologia da informação fará o mundo cada vez menor, pois de praticamente qualquer local já é possível acessar rapidamente qualquer tipo de informação e aplicá-la construtivamente em um negócio. Por causa da tecnologia da informação, comprar produtos, transportá-los, estocá-los, vendê-los e perceber a reação do cliente quase instantaneamente serão coisas plenamente possíveis. Graças à tecnologia da informação, já é possível a existência da empresa virtual, do escritório virtual, do shopping center virtual, do dinheiro virtual e do banco virtual, nos quais os contatos pessoais são substituídos pelos contatos via internet para o desenvolvimento de negócios, transações ou compras. As pessoas já não precisam mais sair de casa para trabalhar, negociar, pesquisar, comprar, aprender ou fazer cursos, pois essas tarefas podem ser feitas por intermédio dos computadores. O trabalho pode ser realizado em qualquer tempo ou horário, sem necessidade da presença física do trabalhador na empresa; é o trabalho remoto ou virtual, o chamado home office.
Serviços
Uma das tendências do mercado indica que a maior parte dos negócios, tanto nos países industrializados quanto naqueles em desenvolvimento, está sendo conduzida pelas médias e pequenas empresas, que continuarão sendo beneficiadas pelo enxugamento das grandes companhias. Está havendo também uma forte migração da oferta de empregos da área industrial para a área de serviços e para o terceiro setor. Isso significa que os empregos estão sumindo das empresas industriais e aparecendo nas empresas de serviços e nas organizações não governamentais de serviço voluntário, as chamadas ONG. O que está por trás disso tudo é uma mistura de forte racionalização e automação dos processos industriais com uma acentuada expansão de mercados de serviços e de atividades de associações voluntárias. O setor de serviços deverá ser o maior polarizador de empregos, enquanto a indústria marchará para o aumento da produtividade, fazendo cada vez mais com cada vez menos pessoas.
Conhecimento
Hoje, o principal recurso econômico é o conhecimento. O grupo social mais importante é e continuará sendo aquele formado pelos trabalhadores do conhecimento, que não são necessariamente aqueles que operam um computador ou algum equipamento sofisticado, mas aqueles que sabem transformar os dados processados em benefício para o cliente ou para a sociedade.O conhecimento é o principal instrumento de ascensão profissional. Melhores oportunidades, remuneração maior, cargos mais elevados e maiores chances de crescimento profissional estão nessa trilha. Cada pessoa vale pelo seu conhecimento. Adquirir constantemente novos conhecimentos e atualizar os já adquiridos é fundamental para preservar o sucesso profissional. Desenvolver capacidades multilinguísticas, multifuncionais e multiculturais para o mercado de trabalho do futuro será vital para manter um emprego em um mundo globalizado, dinâmico e competitivo.

FONTE: CHIAVENATO (2015, p. 87 a 94).

Bom vou terminando por aqui.

Espero que tenha gostado desse texto.

Para assistir outros vídeos, acesse meu canal no youtube, clique aqui.

No próximo, falo da EVOLUÇÃODAS EXIGÊNCIAS PARA SER INSERIDO NO MERCADO DE TRABALHO.

 

REFERÊNCIAS DESTE TEXTO
CHIAVENATO, Idalberto. Carreira e competência : você é aquilo que faz! : como planejar e conduzir seu futuro profissional. 3. ed. Barueri, SP : Manole, 2013.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Como elaborar um plano de carreira para ser um profissional bem-sucedido. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2018.
CIAMPA, Amábile de Lourdes.  Marketing pessoal e empregabilidade: do planejamento de carreira ao networking. 1. ed.São Paulo : Érica, 2014.
TAJRA, Sanmya Feitosa; DOS SANTOS, Welinton.  Planejando a carreira. 1. ed.São Paulo: Érica, 2015.
 

Quer receber nossa newsletter? Coloque seu e-mail no espaço abaixo para receber minhas dicas!

    %d blogueiros gostam disto: