Neste post falarei sobre a importância de criar relaconamentos positivos e saudáveis no local de trabalho, afinal, é neste espaço que passamos a maior parte do nosso dia.

 

E lá vão as dicas:

 

1 reserve tempo para ouvir

 

perceba que muitas vezes trabalhar tranquilo e sossegado parece um momento distante. Sempre tem um colega que sai da mesa ou da sala dele para ir conversar com você. Reservar um tempo para ouvir não significa ser obrigado a ter que dar atenção a eles todas as vezes que você é demandado, pois isso pode prejudicar o seu rendimento e produtividade. Não tenha receio de falar que agora não pode dar atenção, isso é algo cultural. Todas as vezes que você não puder, fale com educação e gentileza, mas com firmeza. Assim, o outro saberá que nem sempre você estará disponível. E aprenderá algo com essa lição. É melhor ser sincero do que colocar fone no ouvido, fazer alguma indelicadeza para mostrar que está ocupado, enfim.

 

2 mostre respeito, entenda que diferentes formações e maneira distintas de ver problemas e situações conduzem a ideias criativas

 

eu sei que é muito bom quando as pessoas concordam com o que falamos ou da maneira que agimos. Mas nem sempre a discordância do outro é algo ruim, podemos aprender a olhar por diferentes pontos de vista, isso é uma forma de aprender.

 

3 comunique-se claramente

 

já falamos da importância dessa competência, a assertividade e a clareza são irmãos do sucesso comunicativo.

4 esforce-se para ser agradável e positivo, não se lamente ou reclame

 

você gosta de estar ao lado de pessoas que só falam em doença? Eu não suporto. Você gosta de estar perto de pessoas que vivem fofocando, falando mal de outras pessoas? Se lamentando, reclamando, pessimistas? Eu evito estar próxima dessas pessoas. É uma energia que não quero para mim. No senso comum, nós gostamos de pessoas agradáveis, positivas, calmas, gentis e nos espelhamos em pessoas vitoriosas, é verdade ou não? Então, caso queira conectar pessoas, tente e se esforce para ser agradável.

 

5 aceite as críticas como construtivas e tente aprender com elas

 

críticas são sempre bem vindas, desde que faladas no momento certo, no tom certo e usando as palavras certas. E quando recebemos críticas, precisamos no mínimo refletir sobre elas. Não julgar de onde partiram. Se ficarmos na defesa, julgando a pessoa que fez a crítica, repare: iremos esquecer da crítica e nos concentrar em devolver a crítica e não aprendemos com ela. Também não estou aqui dizendo que é fácil. Mas algumastêm boa intenção sim e não podemos perder a oportunidade de aprender com o feedback.

 

6 não critique, mas quando der uma resposta corretiva, foque no comportamento, não na pessoa

 

isso é super difícil. Normalmente a tendência natural é criticar a pessoa não o comportamento. Mas é um exercício que precisamos tentar.

7 evite julgar, em vez disso tente entender as outras pessoas

 

no Coaching aprendemos a baixar o julgamento, já falei sobre isso em outro capítulo. Baixar o julgamento é entender o outro a partir do mapa mental dele e não do nosso.

 

8 lembre-se que seu modo de ver as coisas não é a única abordagem válida

 

tem uma máxima que diz “você quer ter sempre razão ou ser feliz?” No afã de ter sempre razão muitas vezes saímos de conversas argumentando, argumentando, sem ouvir uma palavra do que o outro disse, mas pensando na resposta para sair vitorioso da questão. Eu ouvi um termo uma vez: “escutatória”, achei engraçado. As pessoas treinam muito a oratória e deveriam treinar a escutatória, gostei dessa ideia.

 

9 elogie e cumprimente os colegas quando eles realizarem um bom trabalho e não leve os créditos pelo sucesso deles

 

acho de suma importância elogiar. Sempre elogio as pessoas com evidências que mostram porque estão merecendo esse elogio. Já falei sobre feedback positivo em outro capítulo. Perceba como nós ficamos após receber um elogio, sempre sorrimos, ainda que envergonhados. Isso é reconhecimento, esse comportamento é extremamente positivo.

Ciletti (2013, p. 100) indica 11 dicas para criar relacionamentos positivos com o supervisor:

 

1 descubra o que seu chefe espera de você e faça o melhor possível, 

2 não incomode seu chefe com problemas que possa resolver. Caso leve um problema, leve a solução; 

3 não se queixe sobre seus colegas de trabalho, tente resolver as coisas de outro modo; 

4 não traga seus problemas pessoais para o trabalho ou deixem que possam interferir em sua capacidade de realizar o trabalho. Mostre que é confiável; 

5 respeite o tempo do chefe, as pessoas em posição de supervisão são muito ocupadas; 

6 não faça seu chefe ter que supor o que você deseja, comunique-se de forma clara e direta; 

7 finalize seus projetos, entregue a seu chefe o material que está completo e correto de modo que nenhum trabalho adicional tenha que ser feito; 

8 não desperdice tempo, seu esforço ao desempenhar o trabalho fará que seu chefe o reconheça e ele levará isso em conta; 

9 organize seus pensamentos antes de abordar o chefe; 

10 respeite a autoridade de seu chefe, se não gosta de algumas ações ou atitudes não demonstre na frente de outras pessoas, encontre o melhor momento para fazer suas colocações; e 

11 não tome como pessoais respostas bruscas ou gesto não amigável, caso você não tenha feito nada para merecer tal tratamento.

 

Neste vídeo Viviane comenta 6 hábitos no ambiente de trabalho que podem torná-lo cada vez melhor e ajudarão a tornar a sua imagem ainda mais positiva.

8 ERROS COMUNS QUE VOCÊ PRECISA EVITAR COM A SUA NETWORK

 

1 Não pedir ajuda: todos nós precisamos de ajuda em algum momento. Por isso é nosso dever sempre estar a disposição para ajudar. O mundo gira e não sabemos quando estaremos ocupando cada posição desta. Não hesite em pedir ajuda para entrar em contato com as pessoas certas. Isso ajuda o profissional a se conectar com mais profissionais que poderão ajudá-lo mais ainda no futuro.

 

2 Não manter contato com outros profissionais: mesmo estando empregado, já aprendemos nas páginas anteriores que devemos sempre ser vistos para sermos lembrados. Vai que uma oportunidade melhor aparece? Manter contato é estratégico para o sucesso.

 

3 Não fazer networkingonline: nem sempre estaremos a disposição para contatos presenciais, então já vimos que é necessário usar as ferramentas a nosso favor. Existem ferramentas profissionais como o linkedin mas as outras redes sociais também podem ser usadas. Lembrando sempre que devem ser usadas de maneira personalizada para ter sucesso no contato, ou seja, não adianta somente enviar aquele velho card genérico e encaminhar para sua lista, muitas pessoas visualizam e nem respondem. Tem que personalizar, usar o nome da pessoa: “fulano, lembrei devocê quando li isto”, enfim, personalize e faça o contato.

 

4 Não agradecer pela ajuda: certa vez procurei um grupo no “zap” que faço parte e pedi indicação de filmes para enriquecer as vídeo aulas do curso online Autoconhecimento e o Poder da Marca Pessoal. Expliquei para que cada filme serviria e com isso, até fiz uma divulgação do curso, a cada um que contribuiu, selecionei a indicação, chamei pelo nome e agradeci. Isso é só um exemplo de como não podemos esquecer de sermos gratos às pessoas.

5 Não ajudar os outros: lembre que o networking é reciprocidade, não é uma via de mão única, o profissional que pede ajuda também deve ajudar. 

6 Egocentrismo: a sua network serve para formar relações de benefício mútuo. Evite focar demais nas suas necessidades e esquecer as dos outros. Quando conhecer um possível contato profissional fale sobre si mesmo de modo objetivo e faça perguntas, demonstrando interesse na outra pessoa. Antes de pedir algum favor, pergunte se tem algo que você possa fazer pela pessoa.

7 Muitos contatos: tente resistir à armadilha de considerar que ter muita gente na sua rede será melhor que o contrário. Essa máxima não é verdadeira. Você pode até ter poucas, mas que sejam boas e realmente úteis. Não saia por ai anotando todos os contatos indiscriminadamente, faça contatos que certamente poderão enriquecer a sua rede, seja criterioso.

8 Falta de acompanhamento: conhecer uma pessoa uma única vez em um evento não faz dela um contato. Para que você possa estabelecer uma relação é fundamental realizar o famoso acompanhamento, já vimos isso na fórmula da amizade. Após a primeira conversa garanta que vocês vão continuar se falando, seja por meio das redes sociais, do telefone ou pessoalmente. É claro que você não precisa se tornar o melhor amigo dessa pessoa, mas também não vai querer ficar conhecido como o inconveniente que só aparece quando precisa.

 

REFERÊNCIAS DESTE TEXTO
SCHAFER, Jack. Manual de persuasão do FBI. Tradução de Felipe C. F.Vieira. São Paulo: Universo dos Livros, 2015.
CILETTI, Dorene. Marketing pessoal. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

 

Para assistir outros vídeos, acesse meu canal no youtube, clique aqui.

Quer receber nossa newsletter? Coloque seu e-mail no espaço abaixo para receber minhas dicas!

    %d blogueiros gostam disto: