Você consegue imaginar o poder da presença?

Consegue imaginar este poder para o sucesso do processo de coaching?

A essência do Coaching é desenvolver a consciência e a responsabilidade. Consciência é a percepção ampliada daquilo que se passa dentro ou fora da pessoa. Elevar o nível de consciência é a chave para a transformação sustentável da mente humana.

 

Responda para mim:

1 o que está acontecendo em seu mundo agora?

2 o que tem desligado a sua força vital?

3 o que tem drenado as suas energias?

4 que recursos você tem a sua disposição para virar o jogo a seu favor?

 

A magia do Coaching não está na técnica, está na presença. Quando estou na frente de um Coachee estou inteira, em estado de flow (estado de atenção plena). Os pilares da presença são: respiração, silêncio, quietude e senso de espaço.

Este é o grande objetivo de um processo de coaching: materializar mudanças (exteriores) a partir de transformação (interior) de pessoas. A palavra “transformação” vem da palavra “metamorfose”, que significa “mudança de forma”. Os objetivos mais comuns, como os que seguem:

 

■ apoiar a melhoria contínua do desempenho individual e organizacional, a partir da congruência com uma missão;

■ prover o apoio e o encorajamento para a transformação pessoal e a transição de carreira, ou de vida;

■ oferecer suporte no desenvolvimento de líderes, (pensamento estratégico, visão direcionadora, aceleração de mudanças, honestidade e integridade, motivando e energizando pessoas, trabalho em equipe, poder de influência, entregando resultados, valorizando e desenvolvendo todas as pessoas ao seu redor.

■ proporcionar um ambiente adequado para tratar um problema específico ou um desafio em uma área; e

■ apoiar e facilitar a criação de uma cultura organizacional que valorize a aprendizagem, criatividade e melhoria contínua.

 

O Processo de Mudança com o coaching

 

 

Como vimos, mudança e transformação são os grandes objetivos de um processo de coaching. A ciência de entender aquilo que move a vida das pessoas deve ser a principal especialidade de um coach.

 

É todavia fundamental que o coach compreenda a diferença designada entre “mudanças involuntárias”, aquelas as quais todos nós, seres humanos, estamos sujeitos sem que tenhamos controle algum, e um “processo de transição”, que corresponde a nossa resposta intencional a esta mudança. Os cinco passos da mudança são:

 

Passo 1: veja a situação como é, e não pior do que é.

Passo 2: veja a verdade e enfrente-a!

Passo 3: estabeleça uma visão e se fortifique nela.

Passo 4: tenha um modelo de referência e aprenda suas estratégias.

Passo 5: dê muito mais do que espera receber

 

AS ETAPAS

 

Mapeamento do Estado Atual (EA): é o primeiro estágio do processo de coaching; é nele que definimos o ponto de partida da mudança.

Aqui, o coachee consegue assimilar com mais precisão e de maneira ordenada como está sua vida hoje e perceber eventuais pontos críticos nos quais deseja progresso.

 

Projeção do Estado Desejado (ED): no segundo estágio do processo de coaching, o coachee se concentra na visualização do que realmente quer para si. É neste estágio que se define o destino da mudança. Focaliza-se em futuras possibilidades, sonhos, vocação, valores e visão de vida.

Construção do Plano de Ação (PA): no terceiro estágio do processo de coaching, o coachee se dedica à construção de um Plano de Ação. É nesta etapa que se trabalhará um caminho viável para sair do Estado Atual (EA) e chegar ao Estado Desejado (ED). Serão considerados estratégias, recursos e passos que viabilizarão a mudança.

Acessar o Estado Original (EO): neste estágio, o coach conduz o coachee a acessar memórias feridas e superá-las. Essas memórias, conforme veremos mais adiante, são responsáveis por criar comportamentos disfuncionais e afetam o senso de valor e a autoestima. Este estágio é especialmente importante, pois viabiliza uma estrutura emocional no coachee que o permite acelerar a mudança.

“Mudanças são automáticas. Progresso não. Progresso é o resultado consciente de pensamento, decisão e ação.” Tony Robbins
Tony Robbins
Palestrante e Coach

Para Daniel Simons, um psicólogo experimental da Universidade de Illinois, a realidade é apenas uma ilusão, uma interpretação do cérebro. Tudo o que você vê, ouve e sente é a sua própria realidade criada por aquilo que seu cérebro lhe dá, que pode ser completamente diferente de uma outra pessoa. Segundo Simons, nós interpretamos apenas uma pequena parcela da realidade de tudo o que vemos.

OS SEIS PRESSUPOSTOS DA AUTORRESPONSABILIDADE (VIEIRA, 2008)

 

  1. Eu sou o único responsável pela vida que tenho levado.
  2. Eu estou onde me coloquei, e somente eu posso mudar essa circunstância.
  3. Minha vida é mérito meu, por ações conscientes ou inconscientes.
  4. Meus resultados são fruto da qualidade de minhas atitudes, palavras e pensamentos.
  5. Não existem coincidências, você está colhendo o que plantou.
  6. É a certeza de que nada na minha vida muda até que eu mude.

 

Agir com autorresponsabilidade significa:

 

Lei I – Não criticar as pessoas: ajudá-las a focar na solução e na melhoria, e não no erro e fracasso.

Lei II – Não reclamar das situações: contaminamo-nos com o veneno da insatisfação e da crítica.

Lei III – Não buscar culpados: maneira fácil e rápida de se desresponsabilizar.

Lei IV – Não se fazer de vítima: crianças doentes recebem mais amor (criador de vício emocional).

Lei V – Não justificar seus erros: se não houver erros, não há aprendizado, sem aprendizado, não há mudanças.

Para ficar mais por dentro dos objetivos do coaching, assista ao vídeo a seguir.

Para assistir outros vídeos, acesse meu canal no youtube, clique aqui.

Quer receber nossa newsletter? Coloque seu e-mail no espaço abaixo para receber minhas dicas!

%d blogueiros gostam disto: